ANOMALIAS IDEOLÓGICAS

Por Cláudio Julião 21/06/2021 - 15:28 hs
 ANOMALIAS IDEOLÓGICAS
Reprodução/Redes Sociais

Atravessando ideologias e reunindo desde neoliberais a marxistas, conservadores de direita e esquerdistas frenéticos, a política produziu algumas anomalias dentro dessa seara. Aqueles que opinam sobre politica imaginando que são formadores de opinião, cometem erros grotescos injustificáveis, beirando o cometimento de crime contra humanidade.

 

O conceito de democracia e o direito à liberdade de expressão são violados constantemente, por pessoas que tentam preencher o espaço que geralmente é ocupado por “outsiders” no campo político. Sem dúvidas, o movimento de direita orquestrado por Jair Messias Bolsonaro, prolifera em nosso país o uso desenfreado de palavras e promove a protagonistas do mundo digital pseudos-políticos que em momentos de desvaneio atacam pessoas e disseminam o ódio pelas redes sociais. 

 

O Pastor José Olímpio, foi um caso real que abalou o Brasil em sua fala preconceituosa e infeliz, atentou contra alguém no leito de morte causado por um vírus que, infelizmente, o modelo político que o pastor se identifica, insiste em defender uma polarização política negacionista, mesmo o Brasil atingindo 500.000 (quinhentos mil) mortos. 

 

Ricardinho Santa Rita, um jovem de classe alta, que teve a oportunidade de um bom ensino educacional, mesmo não possuindo um mandato eletivo, ocupou cargos estratégicos importantes em sua breve trajetória política, que hoje, lamentavelmente, manchou sua performance e à agremiação partidária que o recepcionou com um escancarado flerte com o nazismo de Hitler. 

 

Lamentavelmente é dessa maneira que nossa amada Alagoas está sendo noticiada no Brasil, com isso, causando um contraste político-social. Na política, Alagoas possui uma trajetória rica de grandes líderes, diferente destes, pois duvido que já tenham ouvido falar em Graciliano Ramos, natural de Quebrangulo, prefeito de Palmeira dos Índios, e romancista aclamado pela literatura brasileira; Aldo Rabelo, natural de Viçosa, desempenhou a função de Ministro de Estado, em diversas pastas durante o governo presidencial de Luíz Inácio Lula da Silva.

 

Portanto, essas anomalias políticas que surgem não só em solo alagoano, mas em todo o Brasil, precisam repensar o cavalo selado que tentam montar, pois, o sistema político genocida que defendem em pleno século XXI, não comporta e não suporta tanta asneira e ódio camuflada de opinião.







Deixe seu Comentário